Titereiro

puppeteer

Que me comandes todos os segundos do dia, que me condiciones literalmente o respirar, ainda consigo dar de barato. Que me iludas ao ponto de duvidar de mim próprio é que me chateia um bocado. Ando desde Outubro com dores de cabeça. Isto numa base diária. Sendo que , infelizmente, passo cerca de sessenta por cento do meu dia em frente a algum ecrã, associei naturalmente isso a algum cansaço visual. Isso também acaba por explicar alguma da ausência por aqui. De 0.50 dioptrias no olho esquerdo, passo para 1.25, e de 0 para 1 no direito. Assim. Sem vaselina para facilitar. Malta das 28 dioptrias, abstenham-se de criticar.

Andei zonzo, nauseado e tal, mas achei sempre que seria para melhorar o estado da arte. Não foi. As dores de cabeças, enxaquecas e o car…aças, continuam por cá. Dei por mim a pedir, quase em lágrimas, à simpática oftalmologista mais graduação no olho esquerdo. Senti-me um agarrado a cravar pelo menos uma dose de metadona. No histórico de consultas, ela agarra-se a suposições, dado que todos os exames feitos não revelam merdas estranhas tipo glaucoma. Passa pelos acufenos e acha que não haverá ligação com os ouvidos. Depois, refundido e perdido no inicio de 2013, descobre um TAC aos seios nasais, ao desvio do septo nasal, enfim, a mucos vários entranhados em  cavidades com nomes esquisitos. E pergunta-me porque é que não lhe tinha ainda dito que tinha sinusite.

Aqui, no momento desta revelação que não o era, apercebo-me, estúpido, que me devia ter lembrado, ou não andasse a snifar uma cena ao deitar para isso. Dou então por mim a querer com todas as forças que a origem deste mal estar seja sinusite, e não as dioptrias e o recém chegado astigmatismo.

Nova batelada de exames e presumíveis medicamentos, e esperar que a coisa melhore.

Querem coisas fofas em blogues? Não venham cá. Blogues também são isto.

Ps- Titereiro que me mexes nos cordelinhos: puxa aí o cordel do pai-de-todos. É para ti.

 

 

“Foi mais forte do que eu, assim que as vi, tive de as possuir.”

Without

 

With

Um blog serve o propósito que lhe quiserem dar. Este em particular, durante mais de um mês, não sentiu necessidade de partilhar o que quer que fosse. Por não querer, por estar farto, porque, porque. Hoje não foi um desses dias.  Comecei a traçar planos para voltar ao trekking já no próximo fim de semana, e decidi partilhar aqui as minhas novas amigas. Se Dom Pipoco por cá passasse, iria por certo reparar que são as botas perfeitas para uns belos crampons. Creio ser uma paixão em comum. Pelo menos para mim são.

Agora com licença que vou ali estudar uns trilhos.