35 Invernos

squaws

Este podia perfeitamente ser o título para mais uma obra do Nicholas Sparks ou outra manhosice qualquer. Tem aquela aura de enigma/drama e mistério, ah e tal sobre que é que será e onde é que vai dar. Na minha cabeça teria todas as possibilidades. Atente-se por exemplo à breve comparação com o do João Tordo. O dele só tem um, é Bom,  e vendeu razoavelmente bem. Mas aqui não. Aqui fala-se apenas e só da minha existência. Se fosse um Black Foot no Século XIX, seria já o ancião da tribo, um velho cheio de ossos e penas de águia ao pescoço, vestido com uma bela pele de bisonte e rodeado de belas e jovens squaws a quem já não saberia muito bem o que fazer. No Século XV,  caminharia provavelmente para um daqueles idosos desdentados e maltrapilhos, a pedir um penny nas imundas sarjetas de Londres, a ver passar as camones dondocas a caminho de Picadilly, nos seus vestidos rendilhados e vistosos.

Mas depois vieram os antibióticos e tal. E agora sou um “jovem” de 35 anos. E bateu forte. E agora preciso de umas chapadas na cara para sair deste torpor. Afecta-me mais do que quero admitir. Se fosse um Viking do Século X, já estaria a fazer planos para morrer gloriosamente em batalha em nome de Odin, só naquela de guardar o meu cantinho em Valhalla, ou em alternativa, a escolher o precipício de onde me iria atirar ao mar. Doem-me as costas.

16 thoughts on “35 Invernos

  1. É isso.

    De vez em quando a minha cabeça ainda me engana e eu quase que digo que tenho 34 mas é mentira. Já vou a meio da década, como tu.

    Valha-nos a mente de 20 anos.

    Parabéns!

    • Ultimamente o meu corpo anda a tentar dizer-me já não tem 20 anos. É mais por aí. 🙂
      Mas não faço anos. Estava um frio do caraças e lembrei-me que detesto frio. 🙂

  2. Pá, és o maior! Anunciar o teu aniversário num post onde falas de Nicholas Sparks, João Tordo , Vikings e camones dondocas e ainda ilustrar tudo com as mamas de umas índias, não é para qualquer um. Vê-se que são 35 anos bem conseguidos.
    Muitos parabéns e, venham mais 35… (ai as minhas cruzes…)

    • As mamas das índias são um acessório de peso no post, MisS, tens de convir. Sobretudo as da esquerda. -_-

      Mas como ali em cima frisei, não são os meus anos. Foram no Verão. Mas achei que se o título fosse “35 Verões”, a malta confundisse com algum livro novo da Margarida Rebelo Pinto. 🙂

    • Alexandra, tens de ver o “Silver Linings Playbook”. Somos sempre personas diferentes. Uns mais que outros.

      Hoje acordei rezinga. Foi só isso. -_-

    • Confundir com a Margarida Rebelo Pinto?! isso é que não, antes o Nicholas Sparks… Mas olha, fica lá com os parabéns que mereces na mesma, nem que seja pelas mamas das índias…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.