A Hermenegilda faz anos, chova guito para uma prenda.

-Como é que não conheces a Hermenegilda? (1º nome falso/estranho que me lembrei para não ferir susceptibilidades, caso por algum infeliz acaso, um co-worker me descubra).

Não conhecia de facto. Estava completamente em off a ouvir a “Thy Raven Wings” dos My Dying Bride. É uma tendência natural, a da abstracção por modo auditivo. Poupa-me a necessidade de usar de todo o meu cinismo e ficar on e opinar sobre assuntos desinteressantes. Tirei do bolso dois euros para uma prenda que não vou ver aberta (não que fosse querer), e que provavelmente terá tanto uso como a pila do José Castelo Branco. Mas também posso estar enganado.

Já não falo da questão conjuntural do País. Dois euros que nunca vão ser facturados. (Momento  like I give a fuck do dia). Falo da obrigatoriedade social de contribuir para alguém que provavelmente nunca mereceu um sorriso cínico meu, e de quem nunca reparei se tinha os dentes muito ou pouco tortos. A cada um a sua tara, ok? Telhados de vidro, amigos, telhados de vidro.

Despedi-me brevemente dos meus dois euros. Godspeed, cara moeda. Eu também não compreendi muito bem o motivo que levou à nossa separação. Foi a sociedade que nos separou, moeda. Bem sei que a nossa relação foi breve e não te dei a devida atenção, mas, bem vistas as coisas, não ia ser uma relação com futuro.

Diz que a Hermenegilda gostou do presente. Perguntei o que era. Ninguém me soube dizer. Acho que foi um livro, disse-me uma cara. Foda-se. Os meus dois euros por um Nicholas Sparks não é uma troca justa.

 

16 thoughts on “A Hermenegilda faz anos, chova guito para uma prenda.

    • Eu tento explicar a estupidez que é gastar 2/4 euros por semana em coisas destas.
      E quando revelo que -“Se dou para a prenda, não dou para o bolo”…Oh o desplante…

    • Julie, mais depressa teria dado 2 euros para um novo penteado para a Hermenegilda original. Essa bem precisa. 🙂
      Não faz jus à frase do Balzac de que “o homem é uma pobre criatura comparada com uma mulher”.
      No caso dela um penteado não ia fazer milagres. 🙂

  1. Confesso que já organizei várias dessas “vaquinhas” para oferecer presentes. E não gosto que envolvam mais do que as pessoas que são próximas e a quem tal acto faz sentido. Confesso também que, contrariamente a ti, há pessoas que insistem em querer fazer parte só para ficar bem no cartãozinho… -.-”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.