Coulrofobia, ou um medo do caraças.

Alguns de vocês acharão que no fim deste post, o mesmo se enquadra numa panisguice de todo o tamanho, e que depois disto, este vosso humilde blogger tinha mais era que levar umas vergastadas e fazer-se homem. É possível que tenham razão. Vocês são maus.

Eu tenho uma fobia. Não é das piores, e não, não é ser sodomizado à bruta pela Monica Bellucci e pela Sofia Vergara juntas, que com essa fobia aguento eu bem. E ainda não desisti de a realizar, tenho é andado com pouco tempo para organizar a coisa. Dai-nos senhor, fobias terríveis assim.

Descobri o nome, não o medo que esse vem de criança. Coulrofobia. Medo de palhaços. Não, não me refiro ao Passos coelho, que a esse pregava-lhe dois murros na tromba que ficava a parecer o Crusty. Mas depois ia ficar com medo dele também. Caramba. Decisões, decisões.

Desde de que me lembro que essas figuras parecidas com a Betty Grafstein me inspiram os mais sinceros medos. Ainda gaiato, do tempo em que ir ao circo não parecia uma actividade estranha e a caminhar assim para o decadente, lembro-me de ficar fascinado e de olhos esbugalhados para os domadores de leões, sempre à espera que um deles, farto de vergastadas mordesse o domador, e a tapar os olhos com as mãos sempre que os palhaços eram anunciados.

Eu poderia ter crescido com um alter ego por causa disto. Tornar-me o Sideshow bob mas com um cabelo melhor, tratado com aussie, que dizem fazer milagres com os cabelos rebeldes. Teria sido giro andar por ai a dar cabo de palhaços. Mas não. Tornei-me num adulto com medo de palhaços. Dei por mim várias vezes a pensar, que de dentro do disfarce, e depois do susto inicial, acabava sempre por sair uma palhaçinha extremamente bonita que me levasse a perder este medo. Mas nem assim.

E vocês? Sofrem de alguma fobia ridícula como eu?

35 thoughts on “Coulrofobia, ou um medo do caraças.

  1. Começando pelo fim, temho uma fobia, mas a minha é rasca, não é fina (ou panisgas) como a tua, até porque é comum a muita gente: embora ande de avião sem problemas – bem, nos últimos tempos tenho tido alguns, mas isso é outra história (ora aí está uma boa dica para um post) – tenho um medo terrível das alturas.
    Agora quanto às tuas, acho que te deves por a pau com a da Bellucci. É que podes ter o azar de te estares a preparar para a concretização, e, já com ela por detrás, a Monica se afastar, e dar lugar ao Cassell, que +e um velhaco. Portanto, meu caro, arranja uma maneira de seres sodomizado por ela de forma a tê-la sempre á vista. É capaz de te ser necessário um pouco de ginástica, mas lá está: mais vale prevenir…

    • VdeAlmeida, se reconhecermos as nossas fobias fosse o princípio para as ultrapassarmos, estávamos a tentar resolvê-las. Panisguice ou não.
      Mas não é. Tenho outras. Falei desta porque reconheço que é estúpida.

      Não me estragues a fobia da Mónica com o Vicent. 🙂 O gajo mete-me medo e não tem cara de palhaço.

      • Já vi que Fuente De é um local de grandes recordações para ti, ahahah! Os picos da Europa têm sítios absolutamente paralisantes (de terror)
        Quanto ao Cassel, também acho que o indivíduo tem cara de sádico. Aposto que anda sempre uns metros atrás da MB de gola levantada, para ver se algum tipo se mete com ela, para ter pé para lhe ir ao focinho!

        Vic

        • 🙂 Até acredito que seja ele um gajo extremoso com ela e lhe faça as vontadinhas todas, (eu também faria várias vezes, mas pronto), mas tem aquele ar psico. Devia ser mafioso antes de virar actor.

          Sim, foi em Fuente De. A vista lá de cima compensa o martírio, mas não volto a fazê-lo.

    • Blue, antes de mais bem-vinda. 🙂

      Coloquemos as coisas da seguinte forma: sentir-te-ias à vontade num autocarro cheio de palhaços de ar sinistro? Isto é o pior que consigo imaginar. Ter o azar de entrar no autocarro de palhaços a caminho da convenção anual.

  2. detesto palhaços. detesto, detesto. sem fobias, mas até percebo…
    eu sou claustrofóbica. não muito, felizmente, mas já fiquei presa em elevadores e desatino mesmo.
    por outro lado, agulhas deixam-me a suar instantaneamente. uma vez tentei fazer mesoterapia para experimentar – esquece, tive de pedir para pararem porque só me faltava chorar de tão nervosa :/

    • Filipa,
      Onde é que tenho de assinar para me ir livrar desta fobia?
      Eram duas palhacinhas que podiam fazer um circo inteiro comigo. Com rede ou sem rede.
      Até engolir fogo.

  3. Com a Uma, ou antes Mia Wallace. Estou a dançar com ela e faço uma rotura ligamentos cruzados enquanto rodo o joelho. Olho para o banco e faço sinal de substituição. A assistência nunca chega. Mia permanece indiferente à minha dor. Tem uma agenda de coisas para fazer comigo.

    • Com a Mia Wallace não vale. Se houve altura da vida em que quis ser o travolta foi nesse filme, nessa cena. 🙂
      Essa dor deve ser semelhante à do Jesus quando se apercebe que o Emerson roda o joelho e não se lesiona.

    • S*, tenho alguma dificuldade em imaginar mexer em algo onde o castelo branco já mexeu.
      E dai…se calhar não mexeu. Não. Não pensamento mau. Sai. Sai!!

    • Vera, porquê?
      Não tens fobias e achas que és normal e os outros estranhos?
      Estás atafulhada de fobias?
      Ficaste a pensar na sodomia com a Monica Bellucci e a Sofia Vergara juntas?

  4. odeio palhaços. mas não tenho medo deles. acho-os só desnecessários e deprimentes.
    sou claustrofóbica.
    e tenho muito medo de aranhas, mas não diria aracnofobia. ultimamente já consigo parar, respirar fundo, pegar no sapato e matá-las com toda a minha força.

    • Oh, eu se sofresse de catagelofobia nem saía de casa. 🙂
      Já do sotaque franciú não te apoquentes. Se o Soares chegou a presidente com o dele…

      • Sou ornitofóbica, não masoquista 😉 Nunca na vida iria ver um filme com un nome desses. Nem nunca iria propositadamente à feira dos pássaros no Porto (se é que ainda existe!)

          • Infelizmente sim :(, Mas não lhes desejo mal nenhum, e se vir um pássaro na estrada, travo para não o matar. O pobre do Animal tem lá culpa de eu ter um medo irracional dele! Quero que eles (pássaros) sejam muito felizes, mas se possível, bem longe de mim 🙂

  5. Pingback: Damage containment | trollofthenorth

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.