Creio ter enrubescido de raiva e tu não viste…

Como podias? Estavas completamente em processo de lobotomia com os decibéis do teu iPod. Não consegui perceber se era Evanescence ou um grupo de macacos urradores. Mas os macacos urradores não berram assim. Pelo menos não no National Geographic que isso eu às vezes vejo. Talvez estivessem na época de acasalamento. Os mamíferos são capazes dos sons mais estranhos quando acasalam. Já a Amy Lee não faço ideia.

Mas não tinhas lá grande aspecto de Sir David Attenborough. Talvez mais um Steve Irwin mas em magro. E fofinho. Fogo, uma raia nunca aparece quando mais precisamos dela.

Parecias alheada de como o teu som estava a incomodar toda a fauna da linha azul. Eu sei que aquilo na maior parte das vezes parece uma Selva em hora de ponta mas, Amy (vamos chamar-lhe Amy), reparaste no olhar fulminante que a velhota do saco do El Corte Inglês te deitou? Até eu pestanejei. Já não me lembro se disso, se dos eflúvios a suor do  gajo de sobretudo ao pé da porta. Esse parecia não reparar nos teus macacos. Devia estar ocupado a tentar que ninguém reparasse na catingada. Mission not acomplished.

Só para te dizer, Amy, que se me voltar a cruzar contigo na linha azul, sou gajo para te mandar para o caralho. Não sou. Mas podia.

6 thoughts on “Creio ter enrubescido de raiva e tu não viste…

  1. Odeio, odeio esse pessoal do aipode aos berros ou, ainda pior, telemóvel aos berros, sem fones. Um dia, ao fim da tarde e muito cansada, chamei a atenção de um jovem que estava a incomodar toda a gente com o telelé a debitar música. Respondeu-me com a maior cara de pau que não estava a fazer nada ilegal. Não o mandei para o caralho, que de vez em quando me lembro que sou uma senhora, mas vontade não faltou.

  2. Izzie, se um dia mandássemos todos ao mesmo tempo para o caralho, essa maltinha que diariamente nos irrita, ainda mudávamos o eixo da terra. 🙂
    Eles são muitos e andem ai.

  3. É realmente uma falta de respeito incrivel desse tipo de gente. E ainda anda por ai uma moda estúpida de ouvir o telemóvel sem phones. Alto e bom som.

    A da amy lee está muito boa 🙂

    • Obrigado, Filipa.

      Não percebo quem começa com estas “modas”. Mas percebo ainda menos a necessidade de ir atrás.
      Mas enfim, temos todos direito à vida.

  4. Eu podia escrever todo um romance sobre este tópico…
    Estupidamente, de cada vez que li Amy Lee, visualizei a Amy Winehouse e não estava a perceber o encaixe dos macacos urradores na história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.