“De como uma ervilha na boca do Bourdain, soa diferente na de um Neurocirurgião”

Sorriu debilmente quando o presentei com a pergunta que se impunha? -Ervilha?!?

Deve ter achado a analogia brilhante. Acredito que resulte com a maioria dos seus pacientes, a mim apeteceu-me mandá-lo para o caralho. Imbecil. E simpático. Portanto um imbecil simpático daqueles com que nos cruzamos todos os dias. Mas a culpa não foi dele que nem estava lá. Quando pouco se faz para manter imaculado o corpinho que deus nos deu, os acidentes de percurso acontecem.

L5-S1 é agora uma zona com mácula. Do tamanho de uma ervilha. Filho da puta de vegetal. E eu que as amava com ovos.

Mas a música que imortalizou a Gloria Gaynor aplica-se aqui na perfeição. As always. E quem me tirar o trekking tira-me tudo. Do Bourdain falo depois que estou sem tempo. Siga para bingo.

4 thoughts on ““De como uma ervilha na boca do Bourdain, soa diferente na de um Neurocirurgião”

  1. Peço desculpa por atropelar desta forma o 2º mandamento da lei de deus. Invoquei o santo nome do Deus Bourdain em vão. Desculpa. Não volta a acontecer.

  2. O Ramsay quando manda foder os donos dos restaurantes tem o meu respeito. Já me apeteceu fazer o mesmo em alguns. A Nigella tem aquela aura MILF que é incontornável.
    Mas o Bourdain é, de facto, de outra galáxia. Tive pena de não o ter ido ver quando esteve cá em Lisboa. Dele falarei num outro post. Ou posts. O Homem merece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.