Entretanto no resto do País…

lavrar

Em Pitões das Júnias, duas vacas ruminam vagarosamente a primeira erva da manhã. A Ti Cacilda já as trouxe do curral. Custou-lhe imenso porque as costas já não ajudam como dantes. A malhada mugiu de contentamento, à castanha tanto se lhe dá como se lhe deu. É todos os dias a mesma coisa. De seguida vão sentar-se no seu flanco, vão meter-lhe as mãos às tetas, e tirar-lhe uns litros de leitinho fresquinho. Ti Cacilda ainda é a melhor no seu mester.

Em Freixo de Espada à Cinta, Justino Gomes, um velhinho simpático que mora ali ao pé da antiga judiaria, já comprou o jornal “A Bola”, algo que faz religiosamente desde que se reformou, e segue para o café central. Um café pingado e um pão com fiambre e bastante manteiga esperam por ele.  Tem uma pequena reforma, que, segundo palavras do próprio, “vão dando para estes prazeres e para os medicamentos, não me posso queixar”.  Depois de ir a casa comer a sopa de nabiça, segue-se uma tarde de sueca no jardim da Praça. Hoje tem de ganhar ao Guimarães e ao compadre dele. Está farto de perder por causa da manilha.

Em Paços de Ferreira, o Jorge já bebeu o seu meio Licor Beirão e o seu segundo café do dia. Ainda se está a decidir se fuma o terceiro cigarro antes de entrar na fábrica de móveis. Olha para o céu, não está estrelado porque é de dia, e está um sol do caraças que lhe fere a vista. O António manda-lhe a boca para entrar e picar o ponto antes das nove. –Fodasse-, exclama chateado. Mal deu duas passas no cigarro. Atira-o para o chão e esfrega-lhe a biqueira da bota em cima. Mais um dia igual aos outros.

Nas Caxinas, o Chico e os seus dois primos, já dobraram as redes e já as colocaram no convés da traineira S. João Baptista. Com P. As redes para enganar a policia marítima por cima, as ilegais para melhor apanhar o robalo por baixo. Hoje vai ser de arrasto. Estão confiantes. A ver se na lota o Senhor Manuel lhes faz novamente aquele preço maravilha pela sardinha pequenina. O primo mais novo, com quatorze anos, ainda não sabe muito bem da arte, mas tem vontade e não quer mais ir à escola. O Chico, que também não passou do sétimo incompleto, acha que é de pequenino que se apanha o jeito, por isso leva-o hoje, com a condição de não fazer merda, e o irmão mais velho tomar conta dele. São família, o que é que se há-de fazer?

São apenas alguns dos efeitos visíveis da greve do Metro de Lisboa no resto do País.

7 thoughts on “Entretanto no resto do País…

  1. É um bocado o que pensam as pessoas que não moram em Lisboa e arredores. Esses totós acham que bloqueiam o país com greves. Como chamada de atenção é fraquinho. Apanhei trânsito aqui na zona Centro como nos outros dias. Tirando isso, está a ser um dia de caca como de costume. 🙂

    A ti cacilda é a maior!!! 🙂

    • Cheguei cá, as pessoas que moram em Lisboa pensam de igual forma. Pelo menos a maioria.
      Eu até lhes agradeço ter de fazer uma caminhada forçada de 20 minutos. 🙂

    • São tantas as coisa de que percebo um pouco, Alexandra. Ficarias surpreendida. 🙂

      PS- Se quiseres dicas de serralheiro, como melhor sachar cebolo, ir apanhar mato para o monte, afinar uma viola, onde se apanha o melhor musgo para presépios de Natal, e como escolher as melhores Meloas, fala comigo. 🙂

  2. Olá…
    Gostei muito do teu cantinho…
    Sou nova na blogosfera como blogger mas já cá navego há bastante tempo como leitora…
    Parabéns pelo excelente trabalho que tens feito no teu Blog…
    O meu cantinho é:
    dollhighheels.blogspot.pt
    Se puderes dá uma espreitadela e se gostares segue-me…
    Bjokas
    Bruna

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.