Fazer pirraça à chuva.

Como? Assim.

A letra perfeita para o humor de quem tem finalmente de ir ao armário sacar o casaco com cotoveleiras a armar ao pingarelho. Fica-me bem e dá-me um ar distinto menos mau. Prefiro frio ao calor. Deve ser da costela nórdica que não possuo. Mas chuva não. Chuva chateia-me. Desde esta altura. Sendo assim, o porque o tempo da viagem no comboio foi gasto a ver metade do episódio piloto da Hell on Wheels, foi tudo o que consegui escrever. A série parece ser boa, e se sobreviveu para uma segunda temporada, algum crédito terá. Por outro lado, séries como Once Upon A Time e Fringe também, por isso, confie-se desconfiando.

A Anneke até podia cantar sobre chulé nos pés ao fim de um dia de calor, ou de mau hálito pela manhã. Soaria sempre assim. Muito bem. Neste caso alegre, para fazer pirraça à chuva e fazer o título do post de hoje ter algum sentido.

2 thoughts on “Fazer pirraça à chuva.

  1. Duas notas:
    -” confie-se desconfiado” é genial!
    – Concordo totalmente com o fazer pirraça à chuva e por isso pus-me a ouvir Peste & Sida – Sol da Caparica.

    🙂

  2. Bem, parece-me que a chuva é uma menina susceptível… Fizeste-lhe pirraça ontem e ela, hoje, já não quis aparecer. Amuou, com certeza, e ainda bem. Pelo menos, por aqui, o sol voltou. Obrigadinha, Troll! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.