Fêquêpê delenda est

Amanhã vou à bola. Vou ver o Benfica ganhar. Desta vez sem o Proença a atrapalhar.

Quando me disseram que me tinham arranjado um bilhete, fiquei automaticamente em modo alerta. Ir à bola para mim é sinónimo de limpar o cano da espingarda, de polir a baioneta. De puxar o lustro às botas da tropa. De preparar todo o equipamento de combate.

Fico sempre assim. Não consigo evitar. Deixei de pagar quotas, e raramente vou ao Estádio por causa disto. O sedentário homem ocidental, poucas oportunidades tem, para além desta, de gritar o seu melhor grito de guerra, de dar mostras de companheirismo quando a batalha corre menos bem. Somos uns bravos nas vitórias. É uma totozice pegada, mas os bravos sentem-se bem.

Perdida a última batalha, esta é uma guerra diferente, que acaba por nunca o ser. O velho inimigo é sempre o mesmo. É uma batalha eterna e desta vez é para ganhar.

Por causa disto, passei a ver calmamente em casa os jogos do Benfica. Mas desta vez não resisti, e lá estarei, de baioneta em riste, com o meu melhor grito de guerra. Fêquêpê delenda est.

29 thoughts on “Fêquêpê delenda est

  1. Escolhes logo um jogo em que o fêcêpê vem com a sua 2ª equipa, pá! Assim num jogo que não interessa para nada, também eu lá ia (à Luz não, que não frequento sítios de má fama 🙂 ). Aquilo nem direito a pequenas escaramuças vai dar…

    P.S.- A sério, já me andam a cansar estas vigarices e jogadas de bastidores do futebol. Já desconfio sempre de que se ganha de forma legal, o que é uma chatice porque detesto desconfiar do que quer que seja.

    • Mónica, é um erro bastante comum, confundir berço com clube. 🙂

      Eu defendo o meu Norte e o meu Porto, não até à morte que não sou parvo, mas até onde me for possível.
      Em relação a clubes, confesso que tendo sido sempre do contra desde miúdo, tinha de torcer pelos outros. E com esse estigma cresci. 🙂

  2. Desiludes-me, Troll coisinho, pá 🙁

    Queres ver bola? queres ver molhadas? entradas por detrás? agressividade? sangue suor e lágrimas?

    Gajo que é gajo, vê é disto, pá!!! 😉

  3. É certinho, homem blogger que é homem blogger, mais cedo ou mais tarde vem aqui parar. Já estou como a Maya, eu que até ía votar em ti. Tss, tss, tss…
    Safas-te pelo bom uso do latim. Não resisto a um homem que sabe as suas declinações. 😛

  4. troll, tu és meu familiar perdido em lisboa?

    vejamos:
    és do porto e benfiquista, check.
    quando ia aos clássicos (com os diabos) na luz também me preparava para a guerra (e dava 3 passos ao lado quando começava a pancadaria, quanto muito era o tipo que ia lá dar um pontapé ao tipo que já estava no chão e fazer-me de mau)

    andaste em confusões com malta do cerco e estudaste no rainha, provavelmente na altura em que eu jogava no vasco e levava com a mesma trampa que tu nessa zona.

    fico ainda com a ideia que frequentaste os mesmos concertos, com algumas prováveis arrochadas no moshpit durante a adolescência.

    confere?

      • 🙂
        Dei aqui voltas ao wordpress e não encontro alternativa para permitir editar. Diz que sou administrador da coisa e apenas eu posso alterar.

        Mas realmente temos n coisa em comum. 🙂

        E mosh em concertos? Check. Às vezes também era eu que estava em cima dos palcos. 🙂

        • se comentar depois de tomar café, a coisa corre melhor.

          não duvido que te tenha visto em cima de um palco qualquer, e devemos ter, pelo menos, conhecidos comuns.

          fuck yeah =D

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.