Lucky numbers

Tirar dois números e duas estrelas no Euromilhões, quando estão tantos milhões em jogo, é como chegar ao fim de uma massagem com uma Tailandesa, e não ter um final feliz. Mas aconteceu. Não a massagem. (Em Taormina estive quase quase a aceitar uma daquelas massagi das pequeninas orientais que proliferavam pela praia. Mas era em público e não acreditei na real possibilidade dessa urban legend que dá pelo nome de final feliz).E aconteceu da pior maneira possível. Começo por ver as estrelas, duas em duas. Nada mau, já quase paga os quatro euros gastos. Os dois números seguintes, check e check. E pronto. Já não consegues evitar. Estás todo excitado como se estivesses prestes a ter sorte com a tua actriz fétiche mas logo depois vem o número que não tens. E os dois seguintes também não. E é um corta tesão do caraças. Pior do que aqueles pensamentos com tipos peludos e suados em saunas que costumas ter para amansar o marsápio, nas alturas em que não convém nada que ele acorde e dê um ar da sua graça.

Na praia por exemplo. Já não tens quinze anos para fazeres um buraco na areia e estrategicamente te colocares de barriga para baixo à espera que passe. Confinado a um buraco escuro mas pouco húmido, o marsápio percebe que falta ali humidade e até arranha, e acaba por perder a fúria. Isto num casamento de uma prima é mais complicado. Vês uma das damas de honor a olhar para ti. Sabes que não é estrábica porque já tinhas estado ao pé dela à chegada. É gira, e tem o par de mamas certo para te levar ao altar. Retribuis o olhar e já o sangue começa o seu curso natural rumo à zona pélvica. (Abro aqui um parêntesis apenas para recordar com algum saudosismo, a fase em que uma troca de olhares era suficiente para trazer animação à zona pélvica. Bons tempos. Já está.). A dificuldade que então se coloca para que nada se note, é digna de um truque do Copperfield. Mas acabas por conseguir sair com a dignidade ilesa e apenas com uma pila rezinga e frustrada.

Falava de prémios do Euromilhões. Falava. Mas entretanto ao escrever este post e ao lembrar-me das mamas daquela dama de honor no casamento da minha prima, eclipsou-se o raciocínio e a moral da história. E tudo o que escrevesse a seguir já não teria tanta piada. Sei que não era tailandesa. Nem sequer me lembro do nome dela e tampouco saberei se não estariam ali décadas de massagens com final feliz.

16 thoughts on “Lucky numbers

  1. Acho que 2 números+2 estrelas já é mais do que alguma vez fiz. 🙂

    “tipos peludos e suados em saunas em saunas” também é corta tesão para gajas. Pelo menos para mim. 🙂

    • Também foi o meu melhor resultado. 13 euros que me deram um almoço de borla e mais 4 euros para a aposta seguinte. 🙂

      Faltou dizer badochas também. 🙂

  2. Como as coisas descambam… mas ainda bem 🙂

    agora… “pensamentos com tipos peludos e suados em saunas que costumas ter para amansar o marsápio”? Sempre bom saber o que vos passa pela cabeça às vezes… 😀

    Nisso temos sorte, não temos tanto problema em disfarçar 🙂

  3. quizas, azar no jogo e sorte ao amor.
    Isso das massagens com final feliz sempre me intrigou,é tao á cinema. Acho que na hora H do final feliz , entra sempre uma multidao de gente na sala com armas, porque aquilo era um espaço ilegal, que fazia trafico de mulheres e desvio de dinheiro e depois ias preso com as calças na mao. Ainda bem que não foste. Na Asia fica-te pelas intoxicaçoes alimentares, é mais seguro.

    ps: sim inventei a expressao de “gaysfera” há quem investigue a cura para o cancro, ha quem vá até á lua, e ha quem só invente coisas parvas.

    • freeculture, o argumento para o teu final feliz é bem mais interessante que o meu. Tirando o tráfico de mulheres que já vi o “The Whistleblower” e marcou-me. Ganhaste. 🙂

    • Rainha St, se te saem 2 estrelas e 2 números (repara que saíram pela ordem que eu tinha), ficas excitada com a possibilidade de sair mais qualquer coisa. Sim, estamos a falar em 3/4 segundos…mas era mais metafórico do que outra coisa. 🙂

  4. A volta que tu deste para falares das mamas da dama de honor.
    A moral da história deveria ser que com um daqueles prémios grandes do Euromilhões se pode comprar um belo par deles. Ou mandar por 🙂

  5. Foi interessante começar a ler como estavas radiante com a possibilidade de poderes ganhar milhões e acabar a ler formas de disfarçar o entusiasmo masculino.
    É nestes dias que penso que ser mulher tem as suas vantagens 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.