O Universo chamou por mim

Disse-me com todas as letras que vou entrar numa espiral de dor de que dificilmente vou conseguir sair. Que mais vale desistir já e obrigar a linha azul a ficar parada por uma hora por motivo de desobstrução da via. Que cada gota de suor e cada pedalada a menos é mais um pequeno prego no meu caixão classe média. E eu, que nunca soube lidar muito bem com isso do desistir, e que nem a feijões gosto de perder, encolhi os ombros, e pensei para comigo que o Universo, esse filho da puta que insiste em urdir mal a minha teia, vai ter uns nós para desatar, porque eu não vou desistir.

Comprei uma bicicleta. Pronto. E estou a tentar habituar-me a ela. Acho que ela também. E ela até é de trato fácil. Deixa-se montar com bastante facilidade, aguenta bem com o meu peso que ainda não-é-demasiado-mas-já-anda-ali-um-pneuzito-e-já-começavas-a-comer-menos, e é preta. Tem suspensões em todo o lado mas tira um café fraquito. Não tenho dinheiro para uma Kona. Mas também nunca precisei ou quis pagar por uma Kona, não ia começar agora.

Decidi aproveitar as primeiras horas da manhã de Domingo para pôr à prova toda a modorra que se me entranhou na alma, e contrariar os que me dizem que não duro um mês nesta tentativa de regresso à actividade física. Estou parado desde que deixei de praticar isto, porque a equipa se desmembrou, mas principalmente por isto. Fui para um espaço ideal para se andar de bicicleta, cortesia dos simpáticos comunistas de Almada, que resistiram às imobiliárias para que dali saísse mais um condomínio privado. Tem algumas subidas de nível dois, que para mim significaram oito. Tive alguma dificuldade em alhear-me dos trinta e seis primos do Mantorras que por ali corriam atrás de uma bola, (lembro-me sempre daquele célebre arrastão em Carcavelos, só por isso), mas como até estava de bicicleta e vinham três jovens a pé, pensei que as apanhavam primeiro a elas, o que me daria tempo suficiente para fugir.

O Universo depois de me ter chamado, deve ter-se rido bastante. O Indurain em mim, e que por acaso também tem bradicardia como o antigo ciclista espanhol, revelou-se um fiasco ao fim de 9.32 minutos. Com a noticia da bradicardia foi a mesma coisa. Quando me foi diagnosticada ainda bastante jovem, o médico perguntou-me se conhecia o Indurain para me explicar que sim, que era uma coisa boa, e que era também chamado de coração de atleta. E o que é que eu fiz com essa preciosa informação? Comecei a fumar ganza passados uns meses.

Mas «inserir aqui clichês sobre não desistir». E é isso. Não vão ser dores musculares em  todo o corpo que me vão fazer desistir. Fuck you, Universo.

 

19 thoughts on “O Universo chamou por mim

  1. Essa de não se pagar, é treta. Paga-se sempre, que um Kona não é coisa barata, e se não é a dinheiro, paga-se em géneros.
    Quanto às dores, elas passam, e já que és um rapaz tão expedito e que relações boys meet girls para ti são mato, arranjas facilmente quem te massaje as pernas (duas).Já a alma e a vergonha por só teres resistido 9 minutos é que vai ser mais difícil de arranjares massajista

    • É um facto, Vic. Acabamos por pagar sempre, nem que seja com extras, upgrades, enfim, coisas para a deixar mais bonita. 🙂
      Massagens são sempre bem-vindas.

  2. Custa mais é começar. Bicicleta não obrigado, porque me chateia, mas correr, corro quando posso. Ajuda sempre se tivermos alguém a puxar por nós, nisso tenho sorte. 🙂

  3. Caro Troll o melhor mesmo é arranjar alguém que lhe faça umas massagens ás pernas para atenuar as dores, garanto que na próxima vez até anda com mais vontade!!

  4. Espero que os teus passeios de bicla tenham continuidade, eu à uns anos também comprei uma bicicleta mas o uso que lhe dei foi tipo os teus 9 minutos e agora está parada, mas acredito que vais conseguir, força Troll!!!!!

    • Raínha St, tive uma emprestada, na arrecadação a ganhar pó. Comprei uma em conta, nada de centenas de euros e tal, e para já não vou até ao infinito e mais além, mas daqui a algum tempo espero estar a fazer uns quilómetros sem qualquer stress. 🙂

    • Alexandra, está bem e recomenda-se. Os glúteos devem ter pensado que estavam numa sessão sado-maso, mas tirando isso, tudo bem. -_-

  5. Pois, a primeira incursão tem sempre esse sabor a fracasso e umas dores em sítios que nem sabíamos que pudessem vir a doer. Mas considera que isso é a preparação. Mesmo que andes uma semana sempre nos 9 minutos, mas não falhes um dia, vais ver como ao fim já não tens dores e depois é sempre a subir.
    Pelo menos, tem sido essa a minha experiência de quase 3 semanas de exercício diário (bicicletas, só as virtuais, mas no domingo peguei na minha Pupik para ir ao minipreço e não é que não fiquei nada ofegante?).

    Persistência e olho no objectivo. No pain, no gain, já dizia o Rocky!

    • Se passares pelo Parque da Paz em Almada e ouvires alguém berrar: “Adriiiaaannn!!!”, serei eu. -_-

      Ps- Entre muitas coisas estranhas no google images para pupik, descobri a tua num post de 2011. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.