Os meus Verões não eram melhores que os teus

Não seriam. Mas os meus eram incrivelmente divertidos. Os meus Verões eram passados a escassos metros das margens do Douro. Era ver o Mississippi do Tom no Agora Escolha, e correr rua abaixo para dar início a mais aventuras. Em praias fluviais de um Douro ainda pouco poluído com coliformes e afins. A canalhada toda reunida em jangadas a travessar o rio depois de suficientes maçãs roubadas nos quintais alheios. A praia da Lomba era sempre a Saint-Tropez escolhida pela classe endinheirada para atravessar de barco para a outra margem. Nós não. Nós tínhamos as jangadas. Éramos todos corsários e Huckleberry Finn’s de trazer por casa.

E o calor. Sempre a coleccionar escaldões e a tentar inutilmente escondê-los dos Pais. Sempre a planear o dia seguinte. Sempre a planear. Sempre.

A malha de hoje, é de uma das minhas vozes masculinas preferidas. Não podem ser sempre damas. E esta é baseada no Huckleberry Finn mais doido de que já ouvi falar.

Fuck. Hoje a Memory Lane está forte para estes lados. Partilhem as vossas se quiserem. Depois suspiramos todos juntos no fim.

21 thoughts on “Os meus Verões não eram melhores que os teus

  1. Nós usavamos uma câmara de ar de pneu de camião e fingíamos que falavamos estrangeiro para impressionar quem passava…íamos para uma praia que hoje em dia é o Jardim Oudinot…lá para os lados da terra dos ovos moles!

  2. Eu passava os Verões todos em Figueiró dos Vinhos. E praias fluviais não faltavam por lá. Eram tempos fantásticos. 🙂

    Obrigado pelas lembranças. Esqueço-me com frequência dos tempos bons. 🙂

    • Fiona, eu adoro Figueiró dos Vinhos!!
      Ainda no Verão passado estive por lá uns dias e na zona de Pedrogão.

      As Fragas de S. Simão são do melhor. 🙂

  3. As minhas eram divididas entre a praia de Carcavelos, a da Cova do Vapor ou uma das da Costa, e as idas de 2 meses para o interior da beira, agosto abrasador e temperado por umas idas à nossa ribeira, com muitas trampolinices pelo meio e também algumas cabeças partidas. Um dia destes eu conto 🙂 Ah! e lá na beira nem havia tempo para a tv 🙂

  4. casa na árvore roubada pelos gunas do cerco, denúncia aos funcionários da CMP (se não é nossa, também não há-de ser deles, burn it down!), guerrilhas urbanas no bairro da pide, atropelamento de velhotas com bicicleta numa espécie de wacky races, concursos de salto de muros sem olhar à altura…

    pensando bem, a minha infância sempre foi um bocado agressiva.

    ah sim, e ia para miramar tentar atirar a rapariga gorda contra os calhaus do senhor da pedra ou para o cano de descargas que montaram lá, em 91 ou coisa assim.

    • du, meteste-te em confusões com malta do Cerco? 🙂
      Respect.

      Eu levei com eles na secundária. Faziam esperas à porta do Rainha e toda a gente tinha pavor deles. Ah e tal são do Cerco. Até podiam nem ser, mas só a hipótese já assustava. 🙂

      • troll, a minha infância foi estranha.

        a meio da segunda classe os meus pais devem ter achado que escolas normais são para bananas, em mudaram-me para s.roque e posteriormente cerco, até ao 9º ano.

        aí ganharam juízo, à conta de algumas tareias em que… “me envolvi”, digamos, e puseram-me numa escola de deus de onde fui educadamente convidado a sair ao fim de algum tempo

        .. e hoje sou assim. não me espanta.

  5. Gosto destes post a puxar à nostalgia.
    Ainda no ano passado deparei-me com a canalha a tomar banho próximo do Porto Brandão, numa galhofa semelhante à que descreves. Daqui a uns anos serão eles a fazer textos assim.

    • Anna Blue, eu tento não puxar sempre à nostalgia. Mas nos últimos tempos só me dá para isto. 🙂

      Max gstava de ver, 1 blog dess mlta daki a unx tempux 🙂

  6. Praia da Lomba??? 😐

    E o café do Tretas? Nem sei se era assim que se chamava, mas era assim que era conhecido!
    Grande praia da Lomba.

    Uns Km’s acima havia a praia de Pedorido, muito boa também. Chegaste a ir lá?

    • Eish! Conheces a praia da Lomba??? Actualmente chamar-lhe praia já é um pouco força de expressão, dado que o Rio e as dragas levaram grande parte da areia, mas ainda assim é fixe.

      De Pedorido conheço mal a praia. Mas conhecia uma miúda de lá, por isso a modos que parei lá uns tempos. 🙂

  7. 3 meses de praia da lomba, jangadas, canoas, um bronze impossível de obter hoje em dia, lanches hiper-mega calóricos, saltos para a água e acrobacias completamente irresponsáveis, tentativas de atravessar o rio a nado (nunca consegui), etc, etc

    • Bem-vinda, Cristina 🙂

      Eram outros tempos. Maravilhosos tempos. O nadar até às plataformas das canoas, brincar à apanhada, e depois quase ficar demasiado cansado para o regresso. 🙂

  8. Troll…
    Eu cresci em Pedorido, ate aos 14 anos vivi la.
    Os Verões eram muito bons… ia pouco a praia da Lomba, mas passava bastante tempo na de Pedorido. E nos quintais alheios também…
    Nunca tentei atravesar o rio a nado… enorme falha.
    Lembro-me de ir todas as tardes a pé para as piscinas das minhas do Pejão.
    Eu adorava aquilo
    Estive numa escola no Porto, na rua das Fontainhas. Deu para perceber bem a raça dos nativos 🙂
    Bolas… que saudades dos meus verões!
    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.