Let´s look at the trailer

Era inevitável. Mais cedo ou mais tarde ia acabar por falar deste filme. Não se pode dizer que tenha uma fórmula original, que não tem, já o “Alive” de 1993 foca esta temática com um misto de canibalismo cootchy cootchy à mistura. Também o “White Fang” de 1991 foca no início a questão dos lobitos esfaimados e tal, (curiosamente tendo ambos Ethan Hawke como protagonista). Mas falar do “The Grey”, não é apenas falar de mais uma excelente interpretação de Liam Neeson, que está lá. Dei por mim em algumas partes que não vou spoilar, a tremelicar e a verbalizar com um suave fuck!!, todas as situações em que se envolve aquela gente. Não fui ver ao cinema. Para além de caro, este merece ser visto sem barulhos de pipocas a serem mastigadas.

Também houve tempo para este filme:

Já o tinha lá em casa para ver desde 2009. Nunca calhou vê-lo. Ontem foi o dia. Este filme ganhou em 2006 o prémio para melhor filme e melhor actor no festival de Cannes. Foi nomeado para o Óscar de melhor filme estrangeiro em 2007, e ganhou mais uma catrefada de prémios worldwide. Porque é que ainda não o tinha visto? Não sei. Mas ainda bem que o fiz. Relata-nos a sangue frio a história dos únicos soldados “franceses” que conseguiram dar vitórias à Pátria, neste caso a Metrópole França. Os soldados magrebinos, marroquinos, e de outros países árabes deram o litro pela nação, e nem sequer uma palmadinha nas costas receberam. É considerada ainda hoje uma das páginas mais negras da história recente de França. Gostei mais do que estava à espera. É uma abordagem bastante diferente para um filme de guerra. Não me senti nada defraudado, gostei bastante e aconselho.

A modos que foi assim. Em considerando bom, partilho com a malta.

8 thoughts on “Let´s look at the trailer

  1. Ainda não vi nenhum dos dois, embora seja indefectível de Liam
    Quanto ao outro, interessa-me mais, gosto de filmes sobre a 2ww. Mas olh que o que aconteceu a esses soldados, conhecendo-se as convicções de De Gaulle, não surpreende. Depois, não foi diferente do destino dos soldados negros norte-americanos.

    • Vic, o “Indigénes” é um retrato cru da velha história do venham lutar por nós que depois recompensamos. Até hoje.
      É um bom filme.

      O Liam Neeson às vezes mete-se em coisas estranhas, como por exemplo o “Battleship”. Mas ao Rob Roy perdoa-se tudo. 🙂

  2. Vi o dos lobinhos. O Liam é um dos meus homens. Grande! Será normal ter ficado logo a seguir com o impulso de “quantos são, quantos são?” e a vontade de me enfiar no mato só com um canivete? Logo eu que tenho terror de lobos, essa fobia tão comum a gajas nadas e criadas na floresta urbana!
    Já ouvi falar muito bem do segundo, mas ainda não lhe deitei as mãos.

    • Alexandra, acredita que é esse o feeling com que se fica. A pergunta do “será que o nosso instinto de sobrevivência está ON”, fica sempre no ar. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.