Sleeper Cell

É assim que me sinto por estes dias. Deito-me a achar que, se acordar na manhã do dia seguinte, o meu cérebro começa a debitar informação que nem sabia existir. Deixo de precisar de obrigar o meu corpo a isto, isto, e ainda isto. Descubro agilidade e perícia, em músculos que nem sabia ter. Deixo a vida de casa/trabalho dos subúrbios, e começo a preparar o ataque que já vai tarde, a membros corruptos do governo, ou a infiltrar-me no Sudão para assassinar o Kony que bem merece. Um reparo a esta última afirmação. Vi o Machine Gun Preacher no fim de semana, e fiquei a pensar nisso. Tudo boas causas. Adiante.

E depois acordo. Xixi, lava mãos, cereais, água na tromba com sabão hidratante, anti-rugas, escolhe camisa, esta não, esta sim, escolhe calças, merda esta não está passada, cinto, escova botins, calça botins, penteia cabelo, foda-se tenho de cortar esta lã. Vai de pente seis no fim de semana. Prometo. Onde estão as chaves do carro? Alguém me mexeu nas chaves do carro. Foi ela. Não. Estúpido. Estão como sempre no outro casaco. Num trago e meio bebo uma Vimeiro e aproveito a tampinha para aquele miúdo de que me falaram, o que precisa de uma cadeira de rodas nova. Deve ser uma tanga como tantas outras, mas na impossibilidade de ir para o Sudão ajudar as criancinhas, é o que se pode arranjar.

Confesso. É mesmo isso que vocês os três estão a pensar. Ando doido para ver o Skyfall, e sou o fã número quatro do Homeland. Mas até o tempo suficiente para ir ao cinema parece escasso. A vida dos espiões é tão mais glamorosa. E nunca vivem nos subúrbios. Só vão lá para pedirem informações a sleeper cells como eu. Depois acabam por matar o gajo e lá vão eles ter com a jeitosa. Nos subúrbios também as há, as jeitosas. Mas nunca ficam com as células terroristas como nós, ficam sempre com os gajos que vestem Tom Ford.

 

12 thoughts on “Sleeper Cell

    • Fiona, o tempo é que me foge constantemente. 🙂 E a vontade também, confesso. Como alguém me disse em tempos: “isto da bloga ama-se e odeia-se”. Tem fases.

    • Muito provavelmente, primoingles. E em vez do relógio Omega Seamaster Planet Ocean 600M, usa um Casio dos baratuchos, e veste fato dos saldos da Zara, ao invés de Tom Ford. 🙂

  1. Gostei tanto deste bocadinho que, se pedires muito, sou bem capaz de te dar umas tampas:

    “E depois acordo. Xixi, lava mãos, cereais, água na tromba com sabão hidratante, anti-rugas, escolhe camisa, esta não, esta sim, escolhe calças, merda esta não está passada, cinto, escova botins, calça botins, penteia cabelo, foda-se tenho de cortar esta lã. Vai de pente seis no fim de semana.”

    • Mam’Zelle M., era uma analogia aos poucos fieis que vêm cá ler as boas novas deste senhor. Não devo ter falhado por muitos. 🙂

      Poucas coisas consigo engolir de manhã cedo. Cereais já foi uma batalha ganha. 🙂

  2. À deriva pelo incrível mundo dos blogues, deparei-me – e porque não queria obedecer à última parte do teu texto, que me parece cada vez mais saudável (o que a última parte do texto indica e não a última parte do texto em si) – com a anhadice em (por vezes) que me meto. Afinal, quando não cumpro a última parte – a mais saudável – também não penso muito e isso afligiu-me. Parabéns pelo despertar…
    Acho que está um pouco confuso isto, mas a anhadice…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.