The night blogger

Não percebo como é que alguns bloggers conseguem escrever em mais do que um blogue. Admiro-os imenso. Invejo-os ainda mais. Eu sei que vocês existem e andam por aí. Não consigo ter tempo para o meu. As férias dos outros são o meu martírio. Tento fazer o trabalho que normalmente é repartido por três. Consigo dar conta do recado mas não sobra tempo para o meu pequeno muro das lamentações onde sou um nazireu convicto mas sem aqueles tufos de cabelo estranhos. Até o comprimento da barba já ultrapassou o limite metrossexual e caminha a passos largos para um wannabe ZZ Top meets Judeu Ortodoxo. Com o administrador três semanas de férias, vale tudo.

Mas sou um daily blogger. Não sei se o termo existe, mas também não interessa para o raciocínio. Eu poderia tornar-me um night blogger e manter os monólogos em dia, mas depois ia ter de abrir mão daquelas coisas triviais que se fazem à noite como, nada, ou vegetar a ver séries que já deveríamos ter deixado de seguir na segunda temporada porque aquela merda já irrita, e sempre refastelados no mesmo sítio do sofá que já nos provoca dores no pescoço, mas que se nos sentarmos na outra ponta do sofá já não é a mesma coisa. Ou mesmo para cafunés e seczo. Sim, eu trocaria posts por seczo. E obviamente para mandar uns balázios online e treinar ainda mais os meus polegares. Não sei porque é que coloquei ali em cima as séries antes do seczo mas agora também já não vou mudar.

Mas este blog não foi abandonado! Era incapaz de fazer isso ao bichinho. Já me acompanha desde Janeiro, porta-se bem, não faz xixi no tapete e não se atraca a peluches a pensar que eles são um blog fêmea, por isso não tenho grandes razões de queixa. Sei que ele nunca vai crescer e ser um daqueles blogues grandes e vistosos que toda a gene olha e diz: -Isto sim é um blogue lindo e bem tratado, vê-se bem que lhe dão muito carinho. Mas eu gosto dele assim, meigo e rafeiro.

 

10 thoughts on “The night blogger

  1. Eu também gosto deles assim, pouco frequentados. Nunca fui de ir no rebanho. Sempre preferi seleccionar criteriosamente aqueles com quem me dou e valorizo muito aquela capacidade de desligar e viver uma vida para além disto dos blogues, até porque lá porque o blogue ter bom aspecto, não quer dizer que tenha conteúdo, ou seja bem escrito/interessante. Gosto muito mais destes espaços assim, sem pedigree mas com muito valor. Faça o favor de continuar, sim?

  2. Os rafeiros tendem a ser mais genuínos, não se elevam pela raça…
    Posto isto, está bom o teu bichinho, e por mais que durante uns dias prefiras vegetar a ver séries não o abandones que há sempre quem lhe venha dar festas 😛

  3. Também estava a estranhar que não mencionasses as pinocadas. Estava a ver que além de teres um blog semi-abandonado, te tinhas transformado num assecla misógeno, ou tinhas feito voto de castidade 🙂

  4. A sério, não tens outro blogue? E eu a pensar que era por isso mesmo que, de vez em quando, “abandonavas” este ao deus dará…
    Confesso que também gosto dele assim, do teu pequeno muro das lamentações 😉

  5. Também não consigo perceber como é que se consegue ter mais do que um blog, nem é só pelo tempo, é pelo o que escrever.. nem sempre sei o que escrever no meu único, quanto mais se tivesse dois ou três..

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.