Um segredo bem guardado

Não é a mesma coisa que estar a jantar uma pizza gorgonzola e funghi no Trastevere, depois de atravessado o Tibre, cortesia da velha ponte Sisto. Passada a Via del Pettinari, mira-se o sujo rio que já terá visto de tudo, e num instante estamos na Piazza Trilussa. Escolhido o restaurante no meio de uma oferta sem fim, ao fim de vinte minutos já um  tinto desconhecido que foi escorregando com demasiada facilidade, entorpeceu a análise pragmática da coisa, sendo que até hoje, e por esse mesmo motivo, apregoo aos quatros ventos, ter sido essa a melhor pizza da minha vida.

Mas, refundida na zona de congelados de um qualquer Jumbo mais próximo, é agora possível encontrar uma pizza, que não tendo rigorosamente nada a ver com a do parágrafo anterior, mi piacce molto. Para a maior parte isto será um segredo tão bem guardado como a conclusão do curso superior do Sócrates, mas para mim, que poucas vezes dou por mim naquela secção do hipermercado, foi uma bela surpresa. Tão boa, que resolvi postar sobre isso. Que me desculpem os bloggers que avidamente se deleitam com blogs culinários pipis, mas aqui o tempo também é escasso e, por vezes, também se colocam comidas no forno durante vinte minutos, enquanto se toma um banho, e se liga a aparelhagem para ouvir o “Believe In Nothing” dos Nevermore.

Banho muito pouco retemperador rapidamente tomado, fico-me pela segunda faixa que dá nome ao álbum. Dedico novamente atenção à pizza Kebab. Está no ponto. E é sublime. A contraste dos pimentos, da cebolinha, e da carne tenra, mistura-se e sorrio. Se fechar os olhos e deixar que o palato me guie, estou novamente aqui, sem a parte da massa da pizza. De olhos abertos estou novamente nos subúrbios, mas o palato, esse, ainda lá está. Allahu Akbar e obrigado Auchan.

 

20 thoughts on “Um segredo bem guardado

  1. Isto não se faz! Ando há dias com vontade de pizza mas não querendo perder a linha ando a resistir à coisa. Mas depois deste segredo revelado já não me consigo conter mais. Acho que hoje à noite vou passar pelo jumbo. Isto não se faz!

  2. De vez em quando descobrem-se umas pérolas dessas. De vez em quando dou um giro de reconhecimento pelos supermercados todos, não vá ter aparecido algo novo e delicioso que me esteja a escapar, ou então para tirar ideias 🙂

    • TR, foi mesmo por acaso. Costumo passar ao lado das pizzas para não cair em tentação, mas desta vez cedi. Aliás, desde que descobri esta pizza, tenho cedido semana sim, semana não. 🙂

  3. Tanta coisa para dizer que já andaste a passear no Trastevere. :p

    Toda a gente come coisas de ir ao congelador. É um sinal dos tempos. Mas olha que esta não conheço e fiquei com curiosidade. 🙂

    • Fiona, foi só para introduzir o tema, e porque o dizer que aquela foi a melhor pizza que provei, é uma true story. 🙂
      Adoro o trastevere.

      Comida congelada é um mal necessário. Ninguém consegue chegar TODOS os dias a casa e dar uma de Jamie Oliver ou Gordon Ramsay. Às vezes 20 minutos de congelador já é demasiado tempo.

    • Francisco, não foi propositado que os gajos não me pagam. Mas pelo sim pelo não, já coloquei o link no Auchan para os tipos apanharem o pingtrack. -_-

  4. De pizzas sou um leigo, mas aprecio aquelas de misturas de ananás com camarão. Sou muito adepto de comer fruta misturada com o resto da refeição (excepto a sopa).
    Ah! E não conheço o Tásmaver nem as suas pizzas, muito menos por lá me empianchei. 🙂

    • Vic, ananás comigo, marcha em montes de refeições. Gosto muito. 🙂

      Não é que coma pizza com frequência, que não como, mas esta surpreendeu-me e quando dei por mim já estava a escrever e a comparar com a pizza italiana do Trastevere. 🙂

  5. O jumbo é um bocado para o longe e pizzas com carne propriamente dita não são as minhas favoritas, mas no Pingo Doce há umas na secção das massas frescas (não congeladas!), que em situações de recurso também marcham bem.

    • Blue, quando digo carne, refiro a lascas de frango ligeiramente condimentadas. Fica muito bom ali no meio. Do Pingo Doce não conheço. Só lá vou pelos cereais. 🙂

  6. So tu para fazeres uma pizza parecer uma coisa interessante, quem sabe sabe.

    Embora confesse que pizza kebab faz-me lembrar uma pizza que vi há uns anos na alemanha que era a pizza esparguete á bolonhesa, em que literalmente punham quantidades industriais de esparguete em cima da pizza. Eu fiquei…….
    what a fuck#$&%$##” is that ?????

  7. davas para publicitário pá. só falta a parte do pizza kebab a olhar apetitosa para Troll, com a carninha suculenta a sair de fora da massa : -“mi trinca vai….”, Troll de toalha à cintura, a atirar esta peça de turco para o sofá e a salivar profusivamente, atira-se de boca inteira…..”and so and so on” como diria o badochas do antónio freitas…

    • Xuxi, nunca iria passar no casting. Ia passar os takes a comer a pizza e dava cabo do orçamento. Aquilo é mesmo bom. 🙂
      O Freitas é cromito dos grandes. Ainda no mês passado em frente a uma plateia de fãs do Game Of Thrones, dizia “womens” e preciosidades semelhantes. 🙂

    • S*, vá limpa lá a baba, e quando estiveres sem tempo para cozinhar e com vontade de experimentar uma pizza nova, vai ao Jumbo. 🙂

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.